segunda-feira, 11 de maio de 2009

Uma Rosa entre as Margaridas

Por que não posso eu querer a Rosa por assim ser

Escolho a Rosa que não é rosa só se faz parecer

Sendo mesmo uma Dália, uma Orquídea ou qualquer outra flor

Escolho o cheiro não pelo perfume e as pétalas não pela cor

Escolhi aquela que não se mostra e sim, capta a pose

Escolhi para minha flor não a Rosa rosa, mas a rosa Rose

Perdi-me a enganar-me no seu nome como todo mundo se engana

E quando meu peito bate não sei se bate Rose ou se bate Rosana

Um comentário:

Luc. disse...

Que adorável...! =]