segunda-feira, 26 de outubro de 2009

Proximo

Fui novamente despertado pela manhã. A tanto que não acordo. Meus primeiros sentidos vieram da boca. Vestígios do gosto das bebidas, o seco das fumaças e o úmido das salivas.

A cabeça apertava numa sutil ressaca, mais moral que física. Os olhos doendo e ardendo e me mostraram meu desleixe com meus cabelos, barba e bigodes.

Mecanicamente, fiz tudo que sempre faço pela manhã para poder começar o meu dia (louco para terminá-lo). Sai de casa querendo voltar para a cama. Curti cada hora, como um paciente na sala de espera de seu dentista, louco para que chegue sua vez.

Assim o dia se foi e eu vou para cama pedindo que ele não volte.

2 comentários:

Paulinha disse...

Me fez releembrar um passado bem próximo, que eu espero que não volte jamais!!


Beeijos!

Evelyn Manrique disse...

Ando vivendo as duas últimas semanas mecanicamente. Como muito bem sabemos fazer.