segunda-feira, 13 de abril de 2009

Eventual

Relendo com calma alguns comentarios de textos antigos postados aqui, percebi o quanto as pessoas enchergam veracidade nas minhas palavras. Alguns me enviam frases de apoio (o que é muito bom), outros se identificam (o que é otimo) e sempre imaginam que esteja vivendo aquelas palavras.
Pois bem...
Nem tudo que se tem escrito aqui sou eu hoje. Muita coisa são eus do passado e outras são eus que nunca existiram. Utilizando desse senso de multiplicar eus, tomo as palavras do porta que melhor fez isso:
"O poeta é um fingidor
Fingi tão completamente
Que chega a fingir que é dor
A dor que deveras sente"
Sei que estou meio distante de ser um "poeta", mas tambem sou alguem que sente pelas palavras e descubri que as pessoas sentem pelas minhas.
Sendo assim, meus amigos, quando se verem tocados pelas minhas palavras saibam que nem sempre sou o eu-lirico da trama, mas serei sempre eu tocando de voces. Se não puder ser com abraços, que seja com sentimentos.

2 comentários:

Tobias de Melo" disse...

É verdade,
mas verdade também é que tocas,
e não importa qual seja teu Eu,
apenas seja teu.


{ Putz... isso ficou Gay,
mas isso aí mano. }

Abraço muito macho !

Rááá !

Nely disse...

Ser "poeta" é deixar o eu-lírico ser o seu mais constante "eu". ( no caso você, rs.)
Parabéns pelo blog, gostei dos textos! :)