sábado, 3 de abril de 2010

Pessach

Fazia um tempo, eu não bebia como fiz ontem. Acordei, no entanto, com uma ressaca moral bem maior que a alcoólica.
De orgulho ferido, abri os olhos e nada ao me redor me agradava. Meu quarto, meu “ninho” não me agradava. A comida que me deram não me agradava.
Não houve nem a tentativa de se desfazer isso tudo. Na tela do meu telefone, meu bom dia era: “Vem...” e eu li: “Como um cão, põe o rabo entre as pernas e vem”.
Respondi que não. Com um sarcasmo depreciativo a mim mesmo. “Não vou. Sou um cãozinho desobediente por vezes”.
Mergulho mais ainda na merda em saber que minha real vontade é ir correndo. Chegar balançando o rabo e sofrer tudo que disse que aconteceria. Vem a o fato que ao menos sofreria ao seu lado.
Um copo de coca e algo doce e minha ressaca vai embora. Duas ou três palavras suas, talvez apenas um sorriso, faça a outra ressaca passar.
Por mais vontade que tenha e mesmo que esteja procurando os meios e horários de ir até você, eu não vou!

Um comentário:

Alba Lúcia disse...

kkkkkkkk..isso já aconteceu comigo...normal!!!Vc foi fundo numa só "verdade"..bjos amigo!!!